Voltar para o site coopermiti

“Acreditamos que o único
caminho para a mudança de
comportamento é através da
educação.”

A HISTÓRIA DO MICRO-ONDAS

Podem-nos parecer estranho: as micro-ondas começaram a ser utilizadas não com uma intenção culinária, mas com o objetivo de detectar aviões inimigos, durante a Segunda Guerra Mundial. As micro-ondas eletromagnéticas produzidas por um magnetron eram refletidas pela fuselagem dos aviões, indicando a sua aproximação.

Mas a sua utilização iria mudar para sempre num dia de 1945, quando o engenheiro eletrotécnico Percy LeBaron Spencer trabalhava na Raytheon, uma empresa de fabrico de magnetrons para radares.

Nesse dia Spencer meteu uma barra de chocolate no bolso e foi trabalhar. Quando testava um aparelho de radar notou que o chocolate tinha derretido. Embora sabendo que as micro-ondas geravam calor, ficou bastante surpreendido por não ter sentido quando o chocolate derreteu.

Curioso, decidiu experimentar com outros alimentos. Começou por colocar um pacote de pipocas no tubo de megatron e reparou que elas começaram a estourar de imediato. Resolveu ainda usar um ovo que passados instantes estourou devido à pressão, o que demonstrava que tinha sido cozido de dentro para fora. Rapidamente concluiu que o processo seria similar com outros alimentos.

Após diversos testes experimentais, Spencer obteve em 1946 a primeira patente para uso das microondas para efeitos culinários.

Em 1947 a Raytheon produziu e comercializou o primeiro forno micro-ondas da história. Este media 1,8 metros de altura, pesava 340 kg e custava cerca de 5000 dólares (o equivalente hoje a 41.500 euros).

Era um equipamento muito fiável e seguro pelo que apesar das suas dimensões e do preço exorbitante, foi logo requerido por empresas de restauração, tornando-se o pioneiro dos atuais micro-ondas doméstico.

Em 1967 começaram a ser vendidas as primeiras versões domésticas que custavam cerca de 450 dólares. Eram ainda mais seguros e confiáveis que as versões industriais.

Mas foi só a partir do ano de 1975 que esta original invenção começou a “invadir” os ambientes domésticos, chegando mesmo a ultrapassar o forno a gás em popularidade e adesão.

Os aparelhos de micro-ondas revolucionaram o nosso modo de cozinhar essencialmente em termos de rapidez e poupança de energia dando um grande contributo para a sociedade atual



Curiosidades:

– O aparelho de microondas de Spencer produzia 3000 watts, aproximadamente três vezes a quantidade de radiação produzida por fornos de micro-ondas atuais.

– O magnetron do primeiro aparelho de micro-ondas tinha de ser arrefecido através de água o que o obrigava a ter ligação a sistema de água canalizada.

– A segurança é garantida porque as micro-ondas nada têm de nuclear, pertencendo ao mesmo tipo de ondas do rádio ou mesmo da luz só que de menor tamanho.

- O forno micro-ondas emite uma onda eletromagnética provocando a agitação das moléculas de água dos alimentos resultando no seu aquecimento. Como esta agitação não é uniforme em toda a estrutura do alimento, os atuais fornos de microondas utilizam um prato giratório.

http://origemdascoisas.com/a-origem-do-forno-microondas/







https://www.google.com.br/search?q=micro-ondas+antigo&biw=1366&bih=643&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiHiqrNn7TLAhVEQ5AKHSvOAXUQ_AUIBygC#tbm=isch&q=primeiro+microondas&imgrc=puEjcgOtbnbpSM%3A