Voltar para o site coopermiti

“Acreditamos que o único
caminho para a mudança de
comportamento é através da
educação.”

DISQUETES NASHUA PROFISSIONAL MAGNETIC MEDIA MD2D 5” 1/4

Empresa: IBM (International Business Machines)

Ano: 1976



IBM

International Business Machines (IBM) é uma empresa dos Estados Unidos voltada para a área de informática.

A empresa é uma das poucas da área de Tecnologia da Informação (TI) com uma história contínua que remonta ao século XIX. A IBM fabrica e vende Hardware e Software, oferece serviços de infraestrutura, serviços de hospedagem e serviços de consultoria nas áreas que vão desde computadores de grande porte até a nanotecnologia. Foi apelidada de "Big Blue" por adotar o azul como sua cor corporativa oficial, em português "Grande Azul".

Com mais de 398.455 colaboradores em todo o mundo, a IBM é a maior empresa da área de TI no mundo. A IBM detém mais patentes do que qualquer outra empresa americana baseada em tecnologia e tem 15 laboratórios de pesquisa no mundo inteiro. A empresa possui cientistas, engenheiros, consultores e profissionais de vendas em mais de 150 países. Funcionários da IBM já ganharam cinco prêmios Nobel, quatro Prêmios Curinga (conhecido como o Nobel da computação), dentre vários outros prêmios.









Disquete

Disquete, também conhecido como diskette, disk ou floppy disk, é um tipo de disco de armazenamento composto por um disco de armazenamento magnético fino e flexível, selado por um plástico retangular, forrado com tecido que remove as partículas de poeira. Disquetes podem ser lidos e gravados por um leitor de disquete, chamado também de floppy disk drive (FDD).

O drive de disquete, ou drive de disco flexível, foi inventado na IBM por Alan Shugart, em 1967. Os disquetes inicialmente tinham o tamanho de 8 polegadas (200 milímetros), e posteriormente, seu tamanho foi reduzido para 5¼ polegadas (133 milímetros). Tão logo, os disquetes de 3½ polegadas (90 milímetros) se tornaram os mais comuns, sendo um disco de armazenamento amplamente utilizado em meados de 1970 até o começo dos anos 2000.

A partir de 2010, as motherboards raramente possuem um suporte a um drive de disquete; os disquetes de 3,5 polegadas podem ser utilizados com o auxilio de um leitor de disquetes externo/USB, mas os leitores externos dos disquetes de 5¼ polegadas ou 8 polegadas são incomuns, raros, e quase inexistentes.

Os leitores de disquete ainda possuem usos extremamente limitados, especialmente se tratando se sistemas legacy, os disquetes foram sucedidos por mídias de armazenamento com espaços intensamente maiores, como pen drives, cartões de memória, HDs externos, discos óticos e redes de computadores.

Histórico dos formatos de disquete

Os primeiros disquetes, desenvolvidos no final da década de 60, eram de 8 polegadas; eles se tornaram disponíveis comercialmente a partir de 1971, com o último formato (3½-polegadas (inches) HDS) a ser definitivamente adotado.

• Tipo de disco: 8-inch

o Ano: 1971

o Capacidade: 80 Kb

• Tipo de disco: 8-inch

o Ano: 1973

o Capacidade: 256 Kb

• Tipo de disco: 8-inch

o Ano: 1974

o Capacidade: 800 Kb

• Tipo de disco: 8-inch dual-sided

o Ano: 1975

o Capacidade: 1 Kb

• Tipo de disco: 5¼-inch

o Ano: 1976

o Capacidade: 160 Kb

• Tipo de disco: 5¼-inch DD

o Ano: 1978

o Capacidade: 360 Kb

• Tipo de disco: 5¼-inch QD

o Ano: 1980

o Capacidade: 720 Kb

• Tipo de disco: 5¼-inch HD

o Ano: 1984

o Capacidade: 1.2 MB

• Tipo de disco: 3-inch

o Ano: 1984?

o Capacidade: 320Kb

• Tipo de disco: 3½-inch

o Ano: 1984

o Capacidade: 720 Kb

• Tipo de disco: 3½-inch HD

o Ano: 1987

o Capacidade: 1.44 MB

• Tipo de disco: 3½-inch ED

o Ano: 1991

o Capacidade: 2.88 MB

• Tipo de disco: 3½-inch EDS

o Ano: 1993

o Capacidade: 5,76 MB



Outras características dos disquetes

• Tipo: Dupla Densidade

o Usado em: P.C./XT

o Setores por trilha: 8

o Trilhas por face: 40

o Capacidade: 160/320 KB

o Taxa de transferência de bits: 250 KBit/s

• Tipo: Dupla Densidade

o Usado em: P.C./XT

o Setores por trilha: 9

o Trilhas por face: 40

o Capacidade: 180/360 KB

o Taxa de transferência de bits: 250 KBit/s

• Tipo: Quádrupla Densidade

o Usado em: AT

o Setores por trilha: 8

o Trilhas por face: 80

o Capacidade: 720 KB

o Taxa de transferência de bits: 300 KBit/s

• Tipo: Alta Densidade

o Usado em: AT

o Setores por trilha: 15

o Trilhas por face: 455;47

o Capacidade: 1.2 MB

o Taxa de transferência de bits: 500 KBit/s

A capacidade dos disquetes 5"1/4, nos modelos mais antigos de leitora, é limitado a uma face. Neste caso, embora a mídia permita, apenas uma das faces é acessada de cada vez. Nos modelos mais novos, com duas cabeças de leitura/escrita, ambas as faces são acessadas.

Meio de Contaminação de Vírus

Os disquetes foram os primeiros transmissores de vírus de computador. No fim dos anos 80, os vírus Ping-Pong, Vírus Stoned, Vírus Jerusalém e Vírus Sexta-Feira 13 eram disseminados através do disquete, que contaminava o PC quando inserido na máquina, e após contaminar ele contaminava qualquer outro disquete sem vírus que fosse inserido no drive do PC. Até o surgimento na Internet, o disquete era o único meio de propagação de vírus que existia.

Na época o único meio de proteger um disquete contra vírus era colocar um selo no lacre quadrangular superior ou, no caso dos disquetes de 3½", ativar a trava de proteção contra escrita, de forma a impedir que o PC gravasse qualquer coisa no disquete, fazendo dele um meio de leitura de dados somente, protegendo assim, de vírus.

Legado

Por mais de duas décadas, o disquete foi o principal sistema de gravação e o mais utilizado. A maioria dos ambientes computacionais antes de 1990 não possuíam redes, os disquetes eram o principal sistema de transferência de dados entre os computadores, um método conhecido de forma mais informal como sneakernet. Diferentemente dos discos rígidos internos da época, os disquetes já eram portáteis e conhecidos; qualquer novato da informática já conseguia identificar um disquete. Em virtude a esses fatores, a imagem de um disquete de 3,5 polegadas se tornou uma metáfora para a gravação de dados virtuais. O símbolo do disquete continua a ser usado em interfaces de softwares (conhecidas como "GUIs") quando se trata da ação de salvar dados, como é o caso do Microsoft Office 2013, mesmo com o disquete ou os leitores de disquete tendo sido altamente obsoletos.



https://pt.wikipedia.org/wiki/IBM

https://www.google.com.br/search?q=DISQUETES+NASHUA+PROFISSIONAL+MAGNETIC+MEDIA+5+1/4''&hl=ptBR&biw=1920&bih=841&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwinl7GcrYnNAhXBkx4KHUSDAn0Q_AUIBygC#hl=ptBR&tbm=isch&q=NASHUA+MAGNETIC+5+1%2F4%27%27&imgrc=ZUcfY752fmS7NM%3A

https://pt.wikipedia.org/wiki/Disquete