Voltar para o site coopermiti

RÁDIO AUTOMOTIVO AM FM PIONEER

Empresa: Pioneer Electronic Corporation

Ano: 1975



Pioneer

A Pioneer é uma empresa de produtos eletrônicos, fundada por Nozomu Matsumoto, em 1938. Tem como uma das principais acionistas a Apple In , sendo a desenvolvedora dos filtros de áudio usados nos ipods e iPhones. Produz vários tipos de produtos, como alto-falantes, CD players, DVD players, e componentes eletrônicos para uso em computadores Apple, entre outros.

História

Em 1937, o fundador da Pioneer, Nozomu Matsumoto, desenvolveu com sucesso o alto-falante dinâmico chamado de A-8. Um ano depois, a precursora da Pioneer, chamada de Fukuin Shokai Denki Seisakusho, foi fundada em Tóquio, Japão. Somente em 1961, o nome da companhia passou a ser Pioneer Electronic Corporation. No ano seguinte, ela introduziu o primeiro sistema estéreo separado do mundo.

Em 1975, a empresa lançou o primeiro car stereo por componente do mundo. Dois anos depois, introduziu o primeiro sistema de TV a cabo bidirecional acessível nos Estados Unidos. Em 1979, a Pioneer introduziu o LD player de uso industrial. O Karaokê LD para uso comercial foi lançado três anos depois, bem como o CD player. Em 1984, introduziu a primeira combinação de LD player compatível com Cds e Lds do mundo.

Na década de 1990, introduziu o primeiro sistema de navegação por GPS baseado em CD do mundo; o primeiro changer 4X CD-ROM; o DVD/CD player; o primeiro DVD/LD/CD player compatível para uso doméstico; o primeiro sistema de navegação por GPS baseado em DVD do mundo; o primeiro drive gravador de DVD do mundo; o primeiro som automotivo para carros equipado com OEL do mundo; o primeiro sistema de navegação por GPS baseado em DVD que incorpora um disco de DVD 8.5 GB; e lança um novo logotipo. No fim da década, introduziu o primeiro gravador de DVD compatível com o formato DVD/RW do mundo.

Em 2001, lançou o sistema de navegação GPS para carros baseado em HDD e lança o slogan da marca global "sound.vision.soul". No ano seguinte, introduziu um gravador de DVD com disco rígido. Em 2003, a venda total de drives gravadores de DVD para uso em PC superou os 5 milhões de unidades. Em 2004, introduziu o primeiro DVD player para uso profissional do mundo, para DJ e VJ, aquisição da divisão de Plasma da empresa NEC é completada e se torna Pionner Plasma Display.

Som automotivo

O primeiro som automotivo foi o rádio Motorola 5T71, lançado em 1930 pela Galvin Manufacturing Company. A ideia era tornar as viagens solitárias de carro menos entediantes. O nome veio da junção de motor (em alusão aos carros) e o sufixo-ola, na época popularmente associado a sistemas de áudio como “radiola”. Era apenas um rádio AM valvulado e um alto-falante com caixa de madeira. Chegavam a custar 130 dólares, quase 10% do preço de um carro na época. A popularidade do sistema transformou o nome Motorola em marca registrada. Na Europa, a primazia foi da Blaupunkt, que em 1932 instalou um rádio em um Studebaker, e no ano seguinte os ingleses Crossley passaram a oferecer um rádio como opcional em seus modelos.

A década de cinquenta revolucionou o som automotivo e o modelou como o conhecemos hoje. A primeira das revoluções foi o rádio FM, lançado pela Blaupunkt em 1952. Um ano depois a rival Becker lançou seu clássico México, o primeiro rádio automotivo com sintonizador de duas bandas (AM/FM) e também o primeiro a ter um sistema de busca automática de estações. O sistema era relativamente simples: o botão de busca reduzia a sensibilidade do receiver, enquanto um motor elétrico girava até que a recepção de um sinal mais forte o parasse. Na mesma época a Ford lançou o sistema Town and Country, que fazia basicamente o mesmo.

Em 1955 a Chrysler lançou o primeiro sistema a usar uma mídia externa. Não eram fitas nem cartuchos, mas sim um tocador de discos de vinil !. Batizado de Highway Hi-Fi, ele era, resumidamente, uma vitrola que funcionava em rotações mais baixas (16,66 RPM) e tinha o braço da agulha projetado e balanceado para não riscar os discos nem pular músicas nas irregularidades do piso. Funcionava surpreendentemente bem, mas a um preço muito caro: como os discos giravam mais devagar, foi preciso desenvolver um sistema proprietário que limitou a oferta de discos e, consequentemente, a demanda pelo opcional. O maior problema, contudo, era a fragilidade decorrente da complexidade do mecanismo, e por isso a Chrysler tirou o sistema de catálogo em 1959.

Outros fabricantes como a CBS e a Philips tentaram fazer os seus toca-discos automotivos, também sem sucesso. Mas a ideia de ouvir suas próprias gravações no carro já estava lançada.



1960: transistores, cartuchos e estereofônicos

Os alemães da Becker voltaram a inovar e, em 1963, lançaram o Monte Carlo, o primeiro rádio automotivo totalmente transistorizado. Os transistores simplificaram os circuitos e tornaram os rádios mais compactos, robustos e duráveis.

Até o fim da década o efeito estereofônico, que dividia o áudio em dois canais e já era conhecido há muito tempo, só podia ser reproduzido em cinemas ou aparelhos domésticos. Ele chegou aos carros em 1969, quando foi lançado o Becker Europa, o primeiro rádio com dois canais amplificados para automóveis.

Ano 1970: você é o DJ

A grande inovação da década de setenta não foi tecnológica, e sim cultural. As fitas cassete já eram bastante utilizadas em gravadores domésticos e profissionais quando alguém pensou em criar um rádio automotivo capaz de reproduzi-las. Os cassetes eram mais práticos de armazenar e tinham mais qualidade que os cartuchos, mas a principal vantagem era que você poderia gravar a fita com as músicas que mais gostasse.

Em 1965 Ford e Motorola se uniram para produzir um sistema mais simples baseado em mídias externas. Neste caso, um cartucho de fita magnética com oito pistas (o chamado eight-track nos EUA) enrolada em uma única bobina, o que permitia a reprodução contínua da fita; contudo, cada vez que a fita chegava ao seu final o cabeçote de leitura reposicionava-se para ler as pistas seguintes, e por isso era necessário reorganizar a ordem das músicas para evitar cortes súbitos.

Surgiu assim a cultura da “mixtape“, que marcou as décadas seguintes, e perdura até hoje com pen-drives e cartões de memória no lugar das fitas. Pela primeira vez os fabricantes aftermarket roubam a cena e os rádios, alto-falantes e amplificadores de marcas como Pioneer e Nakamichi tornam-se sonhos de consumo e símbolos de status entre os fãs de carros.

Características do produto

• Permite o uso de fitas K7

• Faixas de som Am e Fm







https://www.google.com.br/search?q=SOM+AUTOMOTIVO+AM/FM/K7+-+PIONEER&hl=pt-BR&noj=1&biw=1920&bih=841&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjEjbOErt_MAhWJhZAKHQIbCbwQ_AUICCgC#imgrc=PvarM0PxGY7OuM%3A

https://pt.wikipedia.org/wiki/Som_automotivo

http://wikiartigos.com.br/a-historia-do-som-automotivo/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pioneer_(empresa)