Voltar para o site coopermiti

RÁDIO MOTORADIO CHRYSLER DODGE SIMCA

Empresa: Motoradio

Ano: 1970



Motorádio

Motorádio foi uma empresa paulista fundada em 1942 pelo imigrante japonês Hiroshi Urushima em São Paulo. No ano de 1963 cuja principal atividade, em seu início, foi a fabricação de autor rádios, foi o primeiro fabricante brasileiro destes aparelhos.

Na década de 1960, o melhor jogador de uma partida de futebol era premiado por um Motorádio pela TV Tupi.

De 1970 a 1978 manteve com a poderosa Sony uma associação (Sony-Motorádio), por meio da qual a empresa brasileira fabricava radio gravadores, aparelhos de som e televisores vendidos pela Sony.

No inicio da década de 1990, foi constituída a empresa Audiomótor que utiliza a marca Motobras, sendo que os sócios da empresa Audiomótor foram antigos funcionários da Motoradio. A fábrica está atualmente situada na cidade de Brasópolis, MG conta com escritório também em São Paulo.



Chrysler

A Chrysler Corporation é uma fabricante americana de automóveis que atuou de forma independente entre 1925 e 1998, quando foi adquirida pela Daimler, que passou a adotar o nome Daimler-Chrysler. Atualmente, pertence à Grupo FCA.

História

O primeiro automóvel da marca norte-americana Chrysler, fundada por Walter Chrysler, foi apresentado a 5 de Janeiro de 1924, com a designação de Six. Tratava-se de um automóvel de tamanho médio que apresentava uma série de novidades pouco comuns nesse tipo de viaturas, como um motor de alta-compressão com pistões de alumínio. Walter Chrysler tinha adquirido experiência no ramo automóvel ao trabalhar em cargos de chefia de empresas como a Buick ou a General Motors.

Dois anos depois, a Chrysler entrou no segmento dos carros de luxo com o modelo Imperial E-80, que na altura alcançava as 80 milhas por hora. Em 1928, a Chrysler, que tinha Walter Chrysler como presidente, comprou a Dodge, uma importante empresa de fabrico de motores. Nesse ano começou a produzir os modelos DeSoto e Plymouth.

Em 1935 Walter Chrysler demitiu-se da presidência da empresa, numa altura em que esta era já das principais marcas de automóveis norte-americanas.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Chrysler forneceu às forças aliadas cerca de meio milhão de caminhões Dodge, assim como tanques M4 Sherman, os mais utilizados pelas tropas norte-americanas.

Em 1951 a marca apresentou o motor Hemi V-8, o mais potente destinado a carros de passageiros. Quatro anos mais tarde, o Chrysler 300, equipado com este motor, era o carro de passageiros mais potente do mundo.

Em 1957, depois de uma grande expansão interna no pós-guerra, a Chrysler formou uma equipe de operações internacionais sediada na Suíça para vender os seus modelos na Europa. O ano de 1958 ficou marcado por uma inovação mundial introduzida pela marca, ao disponibilizar nos seus modelos o controlo automático de velocidade. No ano seguinte, lançou um dos primeiros carros compactos da história do automóvel, o Plymouth Valiant.

Em 1983 lançou-se na produção de mini-vans, a Dodge Caravan e a Plymouth Voyager, criando assim um novo segmento de mercado. No ano seguinte, adquiriu parte da Maserati e em 1987 comprou a Lamborghini e também a Mercedes que atualmente produz também suas motos esportivas, ambas marcas italianas de prestígio. É ainda em 1987 que a marca norte-americana volta a entrar no mercado europeu.

Em 1992 apresentou o Dodge Viper, um carro superdesportivo de dois lugares que foi o primeiro da marca a ter origem numa plataforma comum a outros modelos Chrysler. Nesse mesmo ano, lançou uma linha de carros familiares constituída pelo trio Chrysler Concorde, Dodge Intrepid e Eagle Vision.

Quatro anos depois a marca já era vendida em mais de cem países. O modelo mais vendido era o Jeep Cherokee. Nesse ano, a Chrysler foi considerada pela conceituada revista de negócio "Forbes" como a empresa do ano.

A Chrysler e suas subsidiárias tornaram-se parte da alemã DaimlerChrysler depois de ser comprada em 1998 por Daimler Benz.

O nome Chrysler LLC foi adotado após a dissolução da DaimlerChrysler AG em 2007: Em 14 de maio de 2007 foi anunciada a venda da Chrysler para o Cerberus Capital Management, tendo em vista a não-realização das sinergias prevista na época da fusão. A Chrysler LLCcontinua existindo sendo proprietária das marcas Dodge, Chrysler e Jeep.

A história do som automotivo

O primeiro som automotivo foi o Motorola 5T71, lançado em 1930 pela Galvin Manufacturing Company. A ideia era tornar as viagens solitárias de carro menos entediantes. O nome veio da junção de motor (em alusão aos carros) e o sufixo -ola, na época popularmente associado a sistemas de áudio como “radiola”. Era apenas um rádio AM valvulado, com um pequeno dia para ser preso à coluna de direção e um alto-falante com caixa de madeira. Custavam 130 dólares, quase 10% do preço de um carro na época. A popularidade do sistema transformou o nome Motorola em marca registrada. Na Europa, a primazia foi da Blaupunkt, que em 1932 instalou um rádio em um Studebaker, e no ano seguinte os ingleses Crossley passaram a oferecer um rádio como opcional em seus modelos.

A década de cinquenta revolucionou o som automotivo e o modelou como o conhecemos hoje. A primeira das revoluções foi o rádio FM, lançado pela Blaupunkt em 1952. Um ano depois a rival Becker lançou seu clássico México, o primeiro rádio automotivo com sintonizador de duas bandas (AM/FM) e também o primeiro a ter um sistema de busca automática de estações. O sistema era relativamente simples: o botão de busca reduzia a sensibilidade do receiver, enquanto um motor elétrico girava o dia até que a recepção de um sinal mais forte o parasse. Na mesma época a Ford lançou o sistema Town and Country, que fazia basicamente o mesmo.

Em 1955 a Chrysler lançou o primeiro sistema a usar uma mídia externa. Não eram fitas nem cartuchos, como você deve ter imaginado, mas sim um tocador de discos de vinil !. Batizado de Highway Hi-Fi, ele era, resumidamente, uma vitrola que funcionava em rotações mais baixas (16,66 RPM) e tinha o braço da agulha reprojetado e balanceado para não riscar os discos nem pular músicas nas irregularidades do piso. Funcionava surpreendentemente bem, mas a um preço muito caro: como os discos giravam mais devagar, foi preciso desenvolver um sistema proprietário chamado que limitou a oferta de discos e, consequentemente, a demanda pelo opcional. O maior problema, contudo, era a fragilidade decorrente da complexidade do mecanismo, e por isso a Chrysler tirou o sistema de catálogo em 1959.

Outros fabricantes como a CBS e a Philips tentaram fazer os seus toca-discos automotivos, também sem sucesso. Mas a ideia de ouvir suas próprias gravações no carro já estava lançada.

1960: transistores, cartuchos e estereofônicos.

Os alemães da Becker voltaram a inovar e, em 1963, lançaram o Monte Carlo, o primeiro rádio automotivo totalmente transistorizado. Os transistores simplificaram os circuitos e tornaram os rádios mais compactos, robustos e duráveis.

Até o fim da década o efeito estereofônico, que dividia o áudio em dois canais e já era conhecido há muito tempo, só podia ser reproduzido em cinemas ou aparelhos domésticos. Ele chegou aos carros em 1969, quando foi lançado o Becker Europa, o primeiro rádio com dois canais amplificados para automóveis.

SIMCA

A Simca, na verdade uma contração de Société Industrielle Mécanique et Carrosserie Automobile, foi uma construtora de automóveis franco-italiana, formalmente criada pela Fiat na França em 1934.

Histórico

O objetivo da Fiat era de construir seus veículos na França sem as taxas de importação, primeiro sob a marca Simca-Fiat, entre 1935 e 1938, e posteriormente sob apenas Simca, a partir de 1939.

A Simca veio a se tornar o terceiro maior fabricante de automóveis francês. O Simca Aronde foi o primeiro modelo de desenho próprio, uma berlina familiar de quatro lugares que era rival do Renault Dauphine. Produziu-se depois o Simca 1000, um carro robusto e econômico para todos os tipos de família que era rival do Renault 8. Foi com um Simca 1000 que se bateu o recorde de circulação em duas rodas.

Após a morte de Henri Théodore Pigozzi a empresa foi gradualmente incorporada pela Chrysler, até que em 1970 tornou-se uma de suas subsidiárias e a marca Simca passou a lhe pertencer. A marca desapareceria em 1980, quando as operações européias da Chrysler foram vendidas ao grupo PSA Peugeot Citroën, que a substituiu em favor da Talbot. No entanto, ainda hoje a marca Simca faz parte do patrimônio do grupo PSA Peugeot Citroën.

Até 1981 vários modelos Simca foram vendidos como Talbot-Simca, mas nesse ano o nome Simca desapareceu. Em 1987 a Talbot também desapareceu e com ela os modelos que a Simca havia produzido.



Características do produto

• Moldura frontal e botões.

• Medidas Aproximadas (Arredondadas):

Largura: 18 cm

Profundidade: 20 cm

Altura: 5 cm.





https://www.google.com.br/search?q=SOM+AUTOMOTIVO-+CHRYSLER-+MOTORADIO&hl=pt-BR&biw=1920&bih=841&site=webhp&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjaqN_U3ILNAhUEx5AKHSDTBTwQ_AUIBigB#imgrc=SKx35LY9_Qt1fM%3A

https://pt.wikipedia.org/wiki/Simca

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-763431919-radio-antigo-chrysler-motoradio-dodge-simca-para-reformar-_JM

https://pt.wikipedia.org/wiki/Motoradio

https://pt.wikipedia.org/wiki/Chrysler

http://wikiartigos.com.br/a-historia-do-som-automotivo/