Voltar para o site coopermiti

“Acreditamos que o único
caminho para a mudança de
comportamento é através da
educação.”

COMPUTADOR CCE MC-1000

Empresa: Comércio de Componentes Eletrônicos (CCE)

Ano: 1985



CCE

Comércio de Componentes Eletrônicos (CCE) é uma empresa brasileira de fabricação de eletrônicos. A empresa foi fundada em 1964 por Isaac Sverner com o objetivo de importar e comercializar componentes eletrônicos; entretanto, somente em 1971 é que a CCE iniciou a fabricação de equipamentos completos. A empresa é controlada pela Digibrás Participações, pertencente à família de Sverner. Em 2012, a empresa asiática Lenovo anunciou a compra da empresa, expandindo ainda mais sua participação no mercado no país, mas em outubro de 2015, a Lenovo devolveu o controle acionário para os Sverner.



Características do produto

O MC-1000 da CCE, foi um obscuro computador doméstico brasileiro lançado em fevereiro de 1985. Na época, com a reserva de mercado de informática, muitos microcomputadores populares eram cópias de modelos de sucesso no exterior. O MC-1000, porém, não era baseado em nenhum modelo conhecido. Algumas fontes sugerem que o micro era, na verdade, um clone de outro microcomputador igualmente obscuro, o belga GEM 1000. Existem indícios circunstanciais que levam a crer que o MC-1000 também pode ter sido baseado num micro fabricado em Hong Kong, o Rabbit RX83.

O lançamento no Brasil, também em 1985, do TK-90X e dos MSX Hotbit e Expert, máquinas mais capazes e com maior disponibilidade de software, pode ter contribuído para frustrar os planos da CCE e fazê-la descontinuar a produção do MC-1000 pouco tempo depois.

Especificações

• Processador (UCP): Zilog Z80-A

• Co-processadores:

• Áudio: General Instrument AY-3-8910 (o mesmo usado no MSX)

• Vídeo: Motorola MC6847P (o mesmo do TRS-80 Color Computer), com seis Kb de VRAM

• Memória:

• ROM de 16 Kbytes

• RAM de 16 Kbytes, expansível a 64 Kbytes

• VRAM de 6 Kbytes

• Display:

• Modo texto 32 × 16 (acessível por meio do comando TEXT do BASIC)

• Modo gráfico 128 × 64 com quatro cores (verde, amarelo, azul, vermelho; comando GR do BASIC)

• Modo gráfico 256 × 192 com duas cores (preto e branco; comando HGR do BASIC)

• Outros modos disponíveis no chip de vídeo, acessíveis em linguagem de máquina, sem comandos específicos implementados no BASIC.

• Sistema operacional:

• Interpretador BASIC

• Teclado: tipo "chiclete", 50 teclas

• Alimentação: 1 conector P2 mono fêmea com 9V CC, 600 ma, positivo na ponta

• Expansão:

• 1 slot

• Portas:

• 2 conectores DE-9 fêmeas para joystick compatível com o do Atari 2600

• 1 conector RCA fêmea com sinal RF para TV (PAL-M)

• 1 conector RCA fêmea com sinal vídeo-composto (preto e branco) para monitor de vídeo

• 2 conectores P2 mono fêmeas para leitura ("EAR") e gravação ("MIC") de dados em gravador de fita cassete

• Armazenamento:

• Gravador de cassete (a 1200 bauds)

• Drive de disquete externo de 5¼" (face simples, 170 Kb), segundo o fabricante, mas não se tem notícias de algum usuário de MC-1000 que sequer tenha visto esse dispositivo.

• O MC-1000 não possuía um botão de liga/desliga: tinha de ser desligado diretamente na tomada ou desconectando da fonte. Além do mais, padecia de um problema crônico de superaquecimento.

• Algumas funcionalidades programadas em ROM funcionam incorretamente ou não funcionam de todo devido a defeitos: comando SLOW, cláusula VTAB do comando PRINT, caracteres de controle CHR$(12), CHR$(27) e CHR$(127) etc.

• Curiosamente, apesar do MC-1000 utilizar o Z80 como UCP, o manual de referência traz uma listagem de parte da ROM em linguagem assembly do Intel 8080. Apesar de as respectivas linguagens assembly serem diferentes, em nível binário o conjunto de instruções do Z80 é um super conjunto do 8080, o que permite que programas compilados para 8080 rodem no Z80.



Semelhança com o Apple II

Parece ter havido uma intenção de simular em certo grau a experiência de usar um Apple II. A linguagem BASIC do MC-1000 é uma variante do BASIC Applesoft, incluindo comandos peculiares desse dialeto (como HOME, GR, HGR, INVERSE, NORMAL, etc.) A listagem do programa obtida com o comando LIST também é praticamente idêntica (espaços introduzidos antes e depois das palavras reservadas). O co-processador de vídeo, que em seu modo de texto normalmente apresenta letras escuras sobre fundo claro (como se vê no TRS-80 Color Computer), teve explorado seu pino de inversão, de modo a exibir, como no Apple II, normalmente letras claras sobre fundo escuro, e o contrário ao se usar o comando INVERSE do BASIC.

Apesar dessas semelhanças superficiais, as máquinas têm hardwares tão diferentes que raramente se pode usar um programa em BASIC Applesoft diretamente no MC-1000 sem mudança alguma.







https://pt.wikipedia.org/wiki/Com%C3%A9rcio_de_Componentes_Eletr%C3%B4nicos

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/e3/Cce_mc-1000_ligado_mini_TV.jpg/250px-Cce_mc-1000_ligado_mini_TV.jpg

https://pt.wikipedia.org/wiki/CCE_MC-1000